Image Alt

Cabelos

Não é de hoje que o óleo de coco faz sucesso entre as mulheres. Com o passar dos anos, o produto se mostra cada vez mais multifuncional e benéfico para diferentes partes do corpo. Em um primeiro momento, o óleo de mostrou um ótimo produto para os fios. E acabou invadindo os cuidados diários da pele.

 

A Inoar lançou na Beauty Fair 2018 o seu Óleo de Coco Virgem. Conheça as melhores maneiras de usar o produto que se destaca por seu poder nutritivo:

 

Umectação dos cabelos

 

A forma mais popular de usar o óleo de coco pode ser considerada a umectação dos fios. Os cabelos que necessitam de nutrição clamam por uma noite com esse produto. Mas você pode variar o tempo de pausa de acordo com a necessidade dos seus fios. Lembrando que aplicação deve acontecer nos fios secos e retirado por meio de uma lavagem convencional.

 

O óleo pode ser convencionalmente usado para dar brilho aos cabelos em uma finalização simples ou em massagens capilares para estimular o crescimento saudável dos fios.

 

Hidratação

 

Se engana quem acha que o poder do óleo de coco se resume à nutrição. Ele também é uma ótima opção para hidratar os fios durante o banho. É indicado utilizar o produto junto à máscara de hidratação e seguir com a lavagem normalmente. O poder do óleo de coco, aliado à máscara, potencializa o tratamento de hidratação.

 

Demaquilante natural

 

A sua pele também pode sentir os benefícios do óleo de coco. Além de ser muito nutritivo e hidratante para os cabelos, o produto pode desempenhar diferentes funções para a pele. Uma delas acontece no processo de limpeza. Você pode aplicar óleo de coco para facilitar a retirada de make do seu rosto, por exemplo.

 

Para isso, basta passar o produto em suas mãos e aplicar na face. O óleo irá “derreter” as substâncias da maquiagem que estão em sua pele e permitir uma limpeza mais profunda de seu rosto. Após isso, basta retirar com algodão e seguir com a lavagem da face.

 

Prevenção às olheiras

 

A gente sabe que, para evitar as olheiras, ter um sono regular é indispensável. Mas existem truques capazes de evitar essa inimiga, principalmente, das mulheres. Um deles é a aplicação do óleo de coco na região da bolsa dos olhos diariamente. Com o tratamento, é possível notar a diferença em poucas aplicações.

 

Lembramos que o óleo é capaz de amenizar situação de olheiras mais esporádicas. Casos crônicos devem ser acompanhados por um especialista.

Fundadora Inocência Manoel

Já conhecido pelos milagres que pode fazer nos cabelos, o óleo de argan é a aposta de muitas mulheres para salvar outras partes do corpo. Descoberto no deserto do Marrocos, o óleo, popularmente conhecido como ouro marroquino, é muito utilizado como enriquecedor de produtos cosméticos.

No Brasil, a Inoar foi a pioneira no uso de fórmulas em várias funções. O óleo de argan protagoniza um grande clássico da marca, a linha Argan Oil System. Ela é composta por shampoo, condicionador, leave-in, sprays e o óleo finalizador com o ouro marroquino em sua formulação.

Uma das grandes vantagens do óleo de argan é seu poder de controlar o frizz dos cabelos. A Inoar investe em pesquisas e patentes sobre este tema, utilizando os óleos para obter extratos e infusões exclusivas. O óleo possui ativos para combater o frizz em suas duas causas principais: (A) Carga estática dos fios e (B) Falta de Lipídeos e Água.

O Ácido Fenólico contido neste óleo desativa as cargas do cabelo. Um mix de Ácidos Graxos, Vitamina E e Ômega 6 nutre e prende pequeníssimas porções de água dentro da estrutura do cabelo – conseguir ancorar água dentro do cabelo é o que podemos chamar de real hidratação. Como efeito complementar, Carotenóides protegem os fios dos radicais livres, neutralizando parte da ação dos raios UV e protegendo cabelos coloridos.

Mas o óleo de argan não é precioso apenas para os cabelos. Ele pode ser usado para a hidratação e renovação de outras partes do seu corpo. Conheça as diferentes funções desse óleo queridinho de muitas mulheres e rapazes.

 

Combate às rugas

O óleo de argan pode ser um grande aliado contra as rugas ao redor dos olhos. Isto porque este composto apresenta baixa toxicidade e pode ser aplicado nesta região sem problemas para a maioria das pessoas. Ao entrar em contato com a pele deste local, o óleo faz uma profunda hidratação e fornece as condições ideais para ativar a produção de colágeno.

 

Hidratação das extremidades

O ouro marroquino é uma ótima opção para quem busca mãos mais hidratadas. Ele tem grande potencial para a hidratação das extremidades que ficam mais expostas no dia a dia.

Nos cuidados com pés, o óleo de argan é efetivo na hidratação necessária para combater as rachaduras ao redor dos calcanhares, combinado a um creme de ureia e ácido salicílico em uso regular, é possível controlar muito bem esse problema.

 

Fortalecimento das unhas

Muitas bases e ativos endurecem as unhas, mas é preciso ter em mente que elas precisam também ter flexibilidade para que sejam duráveis. O óleo de argan penetra na lâmina ungueal, a unha, fazendo reposição de nutrientes e conferindo lipídeos que se ligam à queratina, fazendo com que sua estrutura cresça saudável e com poder de adaptação às diferentes pressões, característica muito desejável para ter unhas longas e saudáveis.

 

 

Fundadora Inocência Manoel

Tudo começou com um livro. A cabeleireira americana Lorraine Massey descreveu em o livro, Curly Girl (O Manual da Garota Cacheada), algumas técnicas de tratamento que priorizam a utilização não só de agentes mais leves de limpeza, como também de substâncias que tratem o cabelo por completo, sem mascarar a saúde dos fios cacheados.

Surgiram então os termos:

LOW POO (pouco shampoo)

NO POO (sem shampoo)

CO WASH (lavar com condicionador)

 

Explicando as técnicas
LOW POO

Low Poo vem do inglês e quer dizer “pouco shampoo”, o que indica que a técnica prega a redução do uso de agentes limpantes fortes e agressivos, permitindo que o fio “respire” e se recupere de agressões.

Na técnica de Low Poo há duas observações importantes que você deve seguir: cortar sulfactantes fortes dos seus shampoos, ou seja, trocar shampoos que tenham sulfactantes por shampoos sulfate free. Notem que não são shampoos sem sal, pois, shampoos sem sal, na sua maioria, possuem outros sulfactantes que não sejam o sal comum. E a segunda providência é cortar o uso de derivados de petróleo de modo geral.

Resumindo: LOW POO: lavar os cabelos com produtos sem sulfatos e sem derivados de petróleo.

NO POO

Também do inglês, o termo quer dizer “sem shampoo”. É um método de lavagem dos cabelos que dispensa a utilização de shampoo. Para aderir a este processo, é necessário eliminar também o uso de todos os produtos insolúveis em água que grudam nos fios de cabelo e precisam do sulfato para sua retirada, como silicones insolúveis, óleo mineral e parafina.

No método No Poo não se usa shampoo, pois os produtos utilizados possuem apenas substâncias solúveis em água, então outros cosméticos, como o condicionador, podem retirá-los.

Resumindo: NO POO: lavar sem shampoo.

CO-WASH

Quando a pessoa é adepta do No Poo, ela não utiliza shampoo para a lavagem dos cabelos. Por isso o No Poo está associado, muitas vezes ao Co-Wash, que quer dizer “lavar com condicionador”. Os sulfatos, encontrados na grande maioria dos shampoos, são agentes responsáveis pela limpeza e pela espuma. Porém, além de tirar a sujeira dos fios, tiram também os óleos naturais e os lipídios do cabelo. Foi em função desses danos que surgiu o Co-Wash, com produtos que não contêm elementos indesejados como os sulfatos, derivados de petróleo, óleos minerais, vaselina, parafina líquida ou silicones insolúveis.

Resumindo: CO-WASH: lavar os cabelos com condicionadores sem sulfatos, sem petrolatos, sem óleos minerais, vaselina, parafina líquida ou silicones insolúveis.

Componentes que devem ser evitados:

– Sulfatos: agridem e ressecam os fios por abrir as cutículas do cabelo.

Sodium laureth sulfate (sodium lauryl ether sulfate – SLES)

Sodium laurilsulfate (sodium lauryl sulfate – SLS)

Ammonium Lauryl Ether Sulfate(ALES)

Ammonium lauryl sulfate (ALS)

– Silicones insolúveis: acumulam-se nos fios impedindo que outras substâncias sejam absorvidas.

Amodimethicone (sozinho)

Cetearyl methicone

Cetyl Dimethicone

Cyclomethicone

Cyclopentasiloxane

Dimethicone (presente na maioria dos cosméticos)

Dimethiconol

Stearyl Dimethicone

Trimethylsilylamodimethicone

Simethicone

Polydimethylsiloxane

Methicone

– Derivados de petróleo: impregna nos fios causando uma película impermeável que impede que o cabelo absorva nutrientes de outros cremes e óleos.

Petrolatum/petrolato

Mineral oil/oleo mineral

Parafinum liquid